Skip to main content

Tradição e cultura trazem emoções e alguma graça nesse momento tão especial.

¨Diz a lenda¨, na Inglaterra, que a noiva deve usar uma coisa velha, uma coisa nova, uma coisa emprestada e uma coisa azul!

Something old
Something new,
Something borrowed,
Something blue.

  • Uma coisa velha – representa a transição da vida de solteira para a de casada, e o seu desejo de dar continuidade a sua família e a de seu noivo. Pode ser uma joia de família, que passou de geração para geração, um véu ou até o mesmo o vestido de noiva, se for da mãe, da avó ou da tia.
  • Uma coisa nova – Representa a vida nova, do casal, que se inicia. Pode ser o próprio vestido, o sapato, a lingerie, ou algo novo que ela vai usar. acredito ser o item mais fácil, para a noiva arrumar.
  • Uma coisa emprestada – como representa os bons fluidos no casamento, é interessante pegar emprestado de alguém que tenha um casamento bem feliz. Pode ser qualquer coisa, que complemente o seu visual, ou algo escondido, como uma meia, uma presilha.
  • Uma coisa azul representa a fidelidade, a pureza de sentimentos dos noivos. Pode ser representada pelo buque, pelo tom do esmalte das unhas, uma lingerie, ou até mesmo o sapato.

Outras tradições:

Buquê de Flores

Bem antigamente, na Grécia, na Roma e no Egito, as noivas moravam em pequenos vilarejos e iam a pé para a igreja.

Durante todo o caminho ela ia recebendo de todos, raminhos de ervas, de especiarias, para ter boa sorte no casamento e afastar a inveja e o mau – olhado!

Nessa época, os buques eram pequenos simbolizavam a fertilidade, a felicidade e a fidelidade no casamento.

O buquê era uma forma de pedir proteção e honrar a deusa Hera, e logo após o casamento o ofertavam a divindade.

Hoje além das flores naturais, as noivas podem levar um terço, uma flor, um buque grande com bastante folhagens, um buque de braço, um buque com flores secas, e todos ficam lindos, enfeitam, perfumam e dão colorido e leveza.

Vestido:

  • O costume de usar vestido de noiva no tom branco, é defendido por alguns que essa tradição surgiu no século XVI com a Rainha Mary Stuart, que optou por vestir o branco, para homenagear a família materna, que possuíam o brasão nessa cor.                         
  • Surgiu na Turquia, a ideia de colocar o nome das amigas solteiras na barra do vestido para que elas se casassem. Hoje as noivas colocam, na barra do vestido o nome das amigas em papéis colados que vão caindo ao longo da festa. O último nome que ficar, será a próxima a se casar. 

Um lado engraçado da tradição:   O noivo não pode ver a noiva vestida, antes do casamento.

Os casamentos bem antigamente, eram arranjados entre as famílias, muitas vezes por motivos econômicos, para unir as famílias. Às vezes os noivos nem se conheciam pessoalmente, algumas vezes somente por fotos. Para assegurar que o noivo não fugisse de sua obrigação surgiu essa tradição do noivo não poder ver a noiva antes do casamento. Se ela não fosse de seu agrada não dava mais para correr!!

Arroz: Essa tradição de jogar o arroz nos noivos, simboliza a fartura, a fertilidade, a prosperidade. Veio da Roma antiga, onde antes era jogado trigo ou centeio, que também simbolizava uma ótima colheita para as famílias.

Hoje em dia, além do arroz temos chuvas de pétalas de flores, bolinhas de sabão, papéis laminados e picados, e até soltar balões com gás hélio.

É sempre um prato cheio para os fotógrafos!

Alianças:

Aliança de casamento simboliza o elo entre duas pessoas que querem compartilhar o mesmo sonho, a mesma alegria e as mesmas dores. É um pacto, uma união entre duas almas, é uma promessa de amor eterno, de cumplicidade. Ela é feita em ouro (tradicional) por ser o metal mais nobre e duradouro. É colocada no dedo anelar, primeiramente na mão direita no noivado e no casamento passa para a mão esquerda, onde há uma veia que vai direto para o coração, chamada de veia do amor, uma simbologia da Grécia antiga. É redonda, um círculo, que não tem começo, nem fim, significando amor eterno e igualdade.